Lutamos pela liberdade, queremos ver o cidadã e a empresa livres das amarras burocráticas, tributárias e dos excessos de regulação do Estado.

Temos que conservar tudo que é bom, dos valores éticos, morais e dos bons princípios que sustentam uma Sociedade Livre e Aberta, mas somos vanguardistas quando se trata de modernizar o Estado, liberalizar de verdade a vida das pessoas para poderem buscar sua própria felicidade da melhor forma possível, sempre respeitando a Lei e a regra de ouro: não fazer ao outro, o que não queremos que se faça a nós mesmos.

Projeto Federalista de nossa Chapa, que nasceu dentro do Movimento Federalista criado por nós ainda em 1991, tem como bases a Dignidade Humana, o respeito à Vida, a autonomia individual, dentro de uma Federação Plena, com equilíbrio sist&êmico e solidário, sob o Princípio da Subsidiariedade que prega uma correta distribuição das atribui&ções, sem que se permita o acúmulo de poderes demais para um poder central. A base do Federalismo Pleno é, portanto, humanista, pois é voltada para o ser humano, colocando o Estado a serviço dele e não o contrário como atualmente ocorre.

Não existe nenhuma evolução social e econômica se somente um dos espectros ideológicos existirem. O que não pode ocorrer, é o radicalismo, tanto de um lado quanto de outro. Se alguns dos princípios que defendemos parecem ser de direita, observe que você vai encontrar também na esquerda humanitária - e aí excluímos os comunistas e socialistas. A esquerda humanitária é composta por muitas pessoas que por conta dos erros de governos tidos como de direita cometeram. Mas observe que no fundo, tantos os integrantes da direita, quanto da esquerda humanitária tem valores humanos parecidos, idênticos poderíamos dizer, pois respeitam o direito da propriedade, o direito de empreender, o direito de ir e vir e ambos condenam o populismo, os excessos tributários, a burocracia e a corrupção. Pode-se ter diferenças entre algumas pautas como aborto, direito ao porte de armas para autodefesa ou tributação das grandes fortunas, mas tais temas são periféricos e não dizem respeito à organização do Estado. No fundo, ninguém paga a conta do supermercado com discurso ideológico, seja lá do que for, e sim, com dinheiro, fruto da renda e riqueza gerada pelo trabalho em um ambiente econômico que seja livre para aberta competição, livre das amarras do Estado, livre de tantos tributos que consomem mais da metade do que temos de proventos, livre enfim, do intervencionismo que só cria problemas em todos os setores da vida humana.

O Federalismo Pleno aplicado no Brasil, o que só é possível sob uma nova constituição referendada pelo Povo, certamente vai colocar definitivamente o Brasil e seu Povo, nós, no rumo da prosperidade sustentável o Projeto Federalista de nossa Chapa, que nasceu dentro do Movimento Federalista criado por nós ainda em 1991, tem como bases a Dignidade Humana, o respeito à Vida, a autonomia individual, dentro de uma Federação Plena, com equilíbrio sist&êmico e solidário, sob o Princípio da Subsidiariedade que prega uma correta distribuição das atribui&ções, sem que se permita o acúmulo de poderes demais para um poder central. A base do Federalismo Pleno é, portanto, humanista, pois é voltada para o ser humano, colocando o Estado a serviço dele e não o contrário como atualmente ocorre.